sábado, 3 de maio de 2014

APROVEITEM O DOMINGO PARA LER - BOA LEITURA!




Dados internacionais de catalogação na publicação
Bibliotecária responsável: Mara Rejane Vicente Teixeira


Silveira, Janice Maria da.
Oi, bicho! / Janice Maria da Silveira. - Curitiba :
Edição do autor, 2009.
131p. : il.  ; 21cm.


1. Silveira, Janice Maria da. 2. Relação homem-
animal. 3. Emoções em animais. I. Título.


CDD ( 22ª ed.)

920.72


No ano de 2011, lancei o livro acima mencionado, em formato impresso. Hoje, reformulei a diagramação, atualizei alguns relatos e o disponibilizo aqui, em formato digital. Pretendo postar cada capítulo por vez e, após, copio o livro inteiro na página correspondente (... espero conseguir rsrsrs).
Hoje, fica aí a
APRESENTAÇÃO

Por ser baseado em episódios verídicos da minha experiência unicamente empírica sobre o comportamento de algumas espécies animais, este livro não guarda nenhum parâmetro técnico em si, sob pena de que a espontaneidade e ingenuidade dos textos fossem perdidas.
Aqui, os leitores encontrarão em cada capítulo, além do curto relato, um texto ilustrativo, que poderá ser real e/ou fictício.
Este livro é uma saudação aos bichos, os quais sempre foram arautos da presença de Deus na vida de cada um dos Seus filhos.
Tive oportunidade de observar alguns animais em diferentes fases da minha vida e pude retirar informações empíricas sobre o comportamento de cada espécie e como esse convívio foi útil à minha vivência pessoal, inclusive preparando-me, inconscientemente, para, hoje, conviver com minhas próprias Necessidades Especiais.   
Hoje tenho muita história para contar e as conto aqui e agora, neste livro que veicula a enorme e muito rica influência dos bichos na minha vida.
Agora sei que não devo “abraçar urso”, nem “cutucar onça com vara curta”... Por outro lado, devo ser discreta e esperta como um gato e fiel como um cão;-)
Daqui do alto da minha cadeira de rodas e da minha idade avançada, afirmo que no tempo que resta, deixarei a Vida me levar, pois sei que o Criador mandou anjos acamparem ao meu redor.

    Acredito firmemente que este mundo, incluindo os animais, foi feito para os homens: “Deus os abençoou: Crescei e multiplicai-vos. Enchei a Terra e submetei-a. Dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todos os animais que se arrastam sobre a terra” (Gênesis I, 28 –BÍBLIA SAGRADA -destaque meu).
Cientificamente, é comprovado o fato de que toda a criação sofreu um processo de mudanças através dos milênios e, chegamos ao século XXI quando nossos antepassados já haviam domesticado os animais selvagens que eram domesticáveis. Não precisamos mais nos arriscar... Só precisamos procurar conhecer cada espécie com suas peculiaridades, para respeitá-las. Assim garantiremos, aos nossos descendentes, uma existência harmoniosa com os bichos, pois isto será parte do nosso legado para as futuras gerações.
O livre arbítrio, do qual é dotado o homem, não foi dado aos bichos, os quais foram contemplados com instintos naturais, dentre eles o de curvar-se ao domínio dos homens.
Portanto, conseguiremos dominá-los sem necessidade de abusar do poder que nos foi dado legitimamente.
        No meu caso particular, o interesse pelo comportamento de cada espécie animal foi semeado na primeira década da minha vida. Não sou Zoóloga, nem Antropóloga, nem Socióloga, nem Psicóloga, nem Teóloga... sou apenas achóloga.
E, consultando (nos subterrâneos da minha memória) meus alfarrábios de ‘Achologia’, conclui que houve, num determinado momento, uma espécie de “escalonamento”:
DEUS (Ser Supremo e Criador); HUMANOS (criaturas racionais, “administradores” da Criação dotados de livre arbítrio); BICHOS (criaturas irracionais, presas aos seus próprios instintos).
Acho, ainda, que por não poderem optar, os Bichos mantiveram sua ligação com o Criador e, por serem submissos ao Homem por determinação superior, aceitam o domínio, mas...  quando o Homem age abusando da autoridade legítima sobre seus “administrados bichos”, estes reagem usando seus instintos naturais e o ser humano sai machucado.
Assim, nós humanos, racionais e superiores, devemos ser prudentes a ponto de procurarmos conhecer os instintos mais primários de cada espécie para respeitá-los... se não soubermos respeitar a natureza dos bichos, não teremos o respeito deles e seremos responsabilizados pelo Criador.


2 comentários:

  1. JAN, respeitando para então sermos respeitados. A mensagem é perfeita. Certamente o livro deve ser enriquecedor. Deixo aqui um abraço e o protesto de minha saudade. Sei que tem muitas outras coisas para ler e fazer, bem como sei que fico em um lugar apenas esperando que os amigos entrem, o que não é correto. Hoje estou aqui por carinho, por saudade. Um abraço, blogueira!

    ResponderExcluir
  2. JEFERSON!!!!!
    Saudade de você, amigo!
    Espero que você leia o livro e goste dele. Eu gostei de escrever ...

    Abração
    Jan

    ResponderExcluir


Gostou ?????