sábado, 14 de junho de 2014

BENVINDO, TOM! e ET - capítulos XI e XII do livro OI, BICHO! Jan

XI – BENVINDO, TOM!
 Logo a seguir, veio o Tom. Aquele gato fora um presente meu para minha afilhada, mas a mãe dela era alérgica. Assim o gatinho, mestiço com Persa, ficou aqui comigo, com o Theo e com a Mine.
O “gatinho” foi uma lição de vida da qual jamais esquecerei. Ele estava sempre de bem com a vida, era educado, obediente, fiel, muito esperto e sabia fazer valer sua vontade no momento oportuno.
Então, passei a viver na companhia de uma cachorra e dois gatos. Aqueles animais passaram a ser a motivação para que eu continuasse tendo vontade de viver.

O GATINHO

Inteligente.
                 Carinhoso.
Independente.
Destemido.
Atento.
Curioso.
Obediente.
Sempre contente.
Tom: O “cara bom”.
O "amarelinho".
O "bonitinho".
O "bonzinho".




XII - ET

Já considerava satisfatória minha fauna doméstica, quando soube que uma vizinha, saindo sorrateiramente da casa em que morava, deixara abandonados à própria sorte os recém nascidos filhotes de sua cadelinha. Compadeci-me e autorizei a vinda de um dos filhotes, para tratamento e posterior doação.
Quando aquela criatura minúscula e feia chegou, só conseguiu pensar que “aquilo” teria sido jogado de uma nave espacial e dei-lhe o nome de ET.  
Depois de dar nele um bom banho, chamei o veterinário, que percebeu o pequenino corpo do ET tomado por sarna e pulgas. Deu-se início, de imediato, ao tratamento adequado.
A simpatia do ET fez com que eu me afeiçoasse à pequenina criatura.

Mas eu não poderia ficar com ele, dada a precariedade do espaço físico do qual eu dispunha, naquela ocasião. Ademais, durante a noite a Mine ocupava o espaço que seria destinado a ele. E ele caberia inteirinho na bocarra dela...
Eu estava consciente de tal impossibilidade, mas cada vez que via algum acessório para cachorro pequeno, imaginava o ET a usá-lo.No terceiro mês de vida, limpo, desverminado, saudável e vacinado, ele foi doado a um amigo da família. Embora pensasse estar preparada para aquele momento, eu chorei...
Durante muito tempo, cada vez que saia porta afora, esperava ver aquele cãozinho de pernas tortas me esperando ansioso e feliz.Vamos saber as:

IMPRESSÕES DO ET

Não sinto mais coceira, estou bem alimentado e não sinto frio. Mas, onde estará minha mãe? Onde estarão os meus irmãozinhos? Ah! Não vou me preocupar com isto, pois se eu estou bem, eles também devem estar.                                      
Gosto deste lar provisório, mas não me permitem ir lá dentro da casa, dizendo que o gato Theo pode me machucar. Será?!?!?!?
Muitas pessoas cuidam de mim e todas dizem que, apesar de feio, sou simpático. Julgam-me feio, apenas porque tenho o pelo curtinho e ralinho, minhas patas (todas) são voltadas para dentro? Ou será pelas verrugas na minha cara? Ou pelos meus olhos “saltados”? Ou pelo meu precário rabo que sempre saúda festivamente a chegada de um amigo?

Está decidido: sou simpático!

Depois desse episódio, passei a valorizar muito o trabalho das pessoas chamadas protetoras, aquelas que socorrem cães abandonados, e depois providenciam um adotante.


É necessário que tais pessoas sejam dotadas de muito desprendimento, além de dispor de uma logística especial. 

Prefiro ser adotante...


Nenhum comentário:

Postar um comentário


Gostou ?????